27 de out de 2011

ENEM TRAGEDIA ANUNCIADA

Texto de Reinaldo Azevedo sobre vazamento do ENEM.


27/10/2011 às 20:12
PROVO QUE O VAZAMENTO DE QUESTÕES DO ENEM JÁ ESTAVA PREVISTO. SE A JUSTIÇA IGNORAR O QUE VAI ABAIXO, DEMONSTRARÁ QUE ESTÁ CEGA, MAS NÃO PARA SER JUSTA! OU: Que vergonha, Fernando Haddad!

Vem de longe, da infância acho, certa melancolia que sinto diante do ridículo alheio. Quantos de nos já não nos apavoramos ao pensar algo assim: “Deus Meu! Fosse eu no lugar dessa pessoa, nunca mais sairia de casa, da cama…” O que há de mais triste do que a piada sem riso, quando o humorista vai se tornando cada vez mais caricato e, por conseqüência, menos engaçado? Ah, o efeito devastador do patético!
Acabou-se dando um nome pra esse sentimento um tanto impreciso, que nasce da vivência vicária do vexame: “vergonha alheia”. É uma boa expressão. Toda vez que Fernando Haddad fala ou que emite notas, é isto o que brota em mim: VERGONHA ALHEIA.
Destaque-se, no entanto, que aquela sensação desagradável que experimentamos supõe que o outro esteja intimamente envergonhado, o que, no caso de Haddad, não parece corresponder à verdade. Este senhor insiste em que as questões que vazaram para o Colégio Christus (e onde mais?) têm origem nos pré-testes aplicados em Fortaleza.
O pré-teste é aplicado para avaliar o grau de dificuldade de determinadas questões e coisa e tal. A Internet está cheia de explicações. No dia 13 de agosto de 2010, informava a VEJA Online:

“Em apenas um ano, o valor do contrato do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para a realização do pré-teste do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aumentou 559% - saltou de 939.500 reais, em 2009, para 6,191 milhões de reais, que serão pagos em 2010 a um consórcio contratado sem licitação. Embora o número de estudantes que farão o pré-teste tenha dobrado neste ano, o custo por aluno cresceu 229,5%.

O pré-teste serve para verificar quais perguntas são consideradas fáceis ou difíceis por um público com perfil semelhante ao que fará o Enem. Segundo o Inep, o aumento nos gastos se deve à ampliação do serviço: desta vez, o instituto pretende aplicá-lo para 100.000 estudantes em 40 municípios, ante cerca de 50.000 alunos de 10 capitais em 2009.”
Viram só? O MEC de Fernando Haddad contrata empresas sem licitação para realizar seus exames, inclusive os pré-testes, e consegue aplicar no exame oficial 14 — e não 9, como admitira ontem o ministério — QUESTÕES IDÊNTICAS àquelas aplicadas no pré-teste. Admitindo-se que seja isso mesmo, é evidente que estamos diante de um caso caracterizado de vazamento.
Como é que um órgão do governo gasta R$ 375 milhões para fazer um exame (contra R$ 128 milhões no anterior), SEM LICITAÇÃO, para armar uma presepada dessas? Então se aplicaram questões semelhantes; não se tomou o cuidado nem sequer de mudar a ordem das alternativas, nada… O MINISTÉRIO ESTÁ ADMITINDO, ENTÃO, QUE NÃO FORAM SÓ OS ALUNOS DE FORTALEZA OS EXPOSTOS A QUESTÕES, MAS TODOS AQUELES QUE FIZERAM O PRÉ-TESTE: 100 MIL!!!
Atenção!
No dia 27 de julho de 2011, reportagem de Rafael Moraes Moura e Rui Nogueira, no Estadão, informava que a própria Controladoria Geral da República apontava, além dos problemas de preço e falta de licitação, a fragilidade do sistema de segurança. Reproduzo trechos. Volto depois:
“A CGU também encontrou fragilidades na elaboração do projeto básico do contrato de impressão do pré-teste, gerando variação de 166% entre os preços orçados e contratados. De acordo com a controladoria, itens como atas da sala e manuais de aplicação (orientações a coordenadores e aplicadores de prova) não apareceram em todas as rodadas de aplicação do pré-teste.
Para contratar a gráfica do pré-teste, o Inep utilizou como referência dois contratos executados pela RR Donnelley, sem consultar outras empresas. Houve, portanto, direcionamento da licitação para a RR Donnelley, vencedora do certame com a proposta de R$ 980 mil, afirma a CGU.
A problemática área de tecnologia da informação (TI) do Inep ganhou destaque no relatório, por causa da série de fragilidades expostas. Os auditores demonstraram preocupação com o fato de uma Política de Segurança de Informação - documento com as diretrizes da instituição quanto ao tratamento da questão - não estar em vigor. “Tampouco existe no Inep área formalmente instituída para lidar com a implementação da Política de Segurança da Informação, atestando fragilidades na implementação de tal instrumento”, diz o relatório.
Voltei
Está tudo aí. A FRAUDE NO EXAME ESTAVA ANUNCIADA. O valente Fernando Haddad dispensou licitação para aprontar o que se vê. Pela terceira vez!
Há pouco, com a sua notável cara-de-pau, concedeu uma entrevista ao Jornal Nacional e culpou professores do Colégio Christus. Não, Haddad!
- A culpa é de quem contratou sem licitação a Fundação Cesgranrio e o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília (UnB) para fazer os testes;
- a culpa é de quem ignorou as advertências feitas pela própria Controladoria Geral da República;
- a culpa é de quem expôs a 100 mil pessoas questões que poderiam ser aplicadas, e foram, no exame oficial ipsis litteris.
A culpa é sua, Fernando Haddad!

Por Reinaldo Azevedo
Estudantes prestem atenção nesta matéria e pense muito antes de votar.
Para termos uma país decente precisamos de Políticas Públicas e não de Políticas Populista, há muito tempo o ENEM tem sido usado para enganar estudantes. As aprovações nas universidades são por ordem decrescente de nota, ou seja, são classificados os candidatos melhores classificados igual ao número de vagas oferecidos, portanto, são aprovados os estudantes que seriam aprovados em qualquer vestibular normal. Não dá maior chance aos candidatos.
São três anos seguidos de problemas para os estudantes por extrema incompetencia do Ministério da Educação.

2 comentários:

Tsu disse...

Oi Inez!
Primeirmanete obrigada por ter lido meu texto mesmo voc~e aditindo que não conhecia os personagens e os animes em que eles pertencem. Mas eu procurei, no texto, falar um pouco deles de modo que as pessoas possam saber um pouco sobre os mesmos. Será que consegui?

Sabe, esse ENEM é uma pouca vergonha..todo ano é a mesma coisa, sempre problemático..deveriam abolir esse sistema.
bjs!

Ana Lucia Nicolau disse...

Oi Inez, realmete, acho essa situação do ENEM bem complexa, acho que precisaria de uma reformulação completa, knclusive do que deve significar essa prova para o desenvolvimento pessoal do estudante....
abs