15 de abr de 2009

RESPONDENDO A QUESTÕES

Gisela Melloso disse...

Olá Inez,è verdade mesmo o que vc disse, eles selecionam os que são aptos mesmo para carreira a sua escolha, mas sabe as vezes me pergunto... Pq alguns entram para biologia e depois mudam para Marketing?E olha que isso acontece muito, ai para onde vai o selecionar para carreira pretendida?Meu filho esta fazendo curso tecnico e queria fazer Patologia Clinica, eu conversei com ele e disse que tinha que fazer algo que gostasse também no curso tecnico e que faria a faculdade de Patologia, não sei se fiz certo, mas tive medo dele começar a patologia e depois querer mudar o curso!!!Bom não sei, acho que hj em dia fica complicado a faculdade fazer uma seleção por vocação pois a meu ver eles podem mudar o rumo no meio do caminho!!Forte abraço!!!
15 de Abril de 2009 11:22

Respondendo às colocações da nossa amiga Gisela Melloso
As faculdades selecionam os melhores, aqueles que são mais aptos para a carreira escolhida. Acontece muito o aluno entrar em um curso e depois perceber que não era bem aquilo que queria.
Um estudo feito pela pesquisadora Ivete Lehman do Instituto de Psicologia da USP mostra que 45% dos alunos que abandonam o curso superior desistem por terem escolhido a carreira errada.
A seleção feita pelas faculdades visam os mais aptos, aqueles que tem capacidade de raciocínio, mas não o fazem em relação a carreira porque não há a Orientação Vocacional antes do exame.
Na Argentina 97% dos alunos que vão para o curso superior passam pela orientação vocacional, no Brasil somente 2% desses alunos participam de Programas de Orientação Vocacional.
O jovem tem que escolher a profissão em um período bastante difícil da vida de todos nós. É a época em que ele está em busca de si mesmo, buscando saber quem ele é e que papel tem no mundo, é a época que aparecem os primeiros conflitos.
O avanço tecnológico, as constantes modificações no mercado de trabalho que exige cada vez mais dos jovens dificultam ainda mais a escolha profissional.
Neste momento a Orientação Vocacional tem um papel fundamental para o jovem, não vai dizer a ele é essa a carreira que você tem de seguir, vai interagir para que ele seja o agente ativo de sua escolha trabalhando o autoconhecimento, interesses, habilidades, valores, limitações para uma escolha consciente e adequada para o seu projeto de vida.
Um Programa de Orientação Vocacional trabalha o Autoconhecimento, Mundo do Trabalho e Mundo da Educação

AUTOCONHECIMENTO: Habilidades, Interesses, Características Pessoais, Valores Pessoais e laborais.

Mundo do Trabalho: Profissões existentes levantando as questões: O Que é a profissão? O que exige? O que oferece?

Mundo da Educação: Escolas que oferecem o curso, número de vagas, períodos dos cursos, concorrência nos vestibulares ou vestibulinho.


Muita gente diz que não faz Orientação Vocacional porque sai caro.
Levando em consideração o prejuízo emocional e financeiro que há em entrar na faculdade e depois ver que não era aquilo que queria acaba saindo muito mais caro.

8 comentários:

G. Missali disse...

Um blog interessante e útil, discorrendo sobre diversas questões de forma ampla. Parabéns pela ousadia!

O Chef
http://comidaescrita.blogspot.com
(Absolut Vodka em novos trajes)

avassaladorasrio disse...

Querida amiga avassaladora...Inez
Sem duvida, a falta de prevenção não procurando profissional habilitado e capacitado de orientação Porfissional pode levar um sujeito a consumir tempo, esforço e dinheiro desnecessariamente.
Alem disso, no Brasil ainda existe a cultura da Orientação "paternal"...Muitos jovens seguem a carreira do pai ou da mae por achar mais facil.. por já ter um negocio a herdar etc e tal...

André Mattos disse...

Como sempre, você está prestando um serviço de utilidade público pra garotada. Parabéns.
Sugestão: por que você escreve algo sobre as mudanças no ingresso às universidades. Acho que vai interessar.
bom trabalho. Vai nessa!


Relatos cotidianos.
http://bemcontar.blogspot.com
se gosta de música, participe da promoção.

Giullianne Vicente disse...

Inez
Voce tem razão, o ideal seria que todos fizessem o teste vocacional e depois escolhessem a profissão.
O pior é que tem pessoas que não desistem do curso e depois se transformam num péssimo profissional.
Adorei o recado que vc deixou no meu blog, obrigada.Volte sempre!
bjs

Nat Valarini disse...

Olá Inez!

Muito bacana da sua parte esclarecer tantas dúvidas e ainda, compartilhar isso com os demais leitores do seu blog.

Eu estou refinando o meu leque de opções... rs..

Espero me decidir em breve!

Kiso


.
http://garotapendurada.blogspot.com/

Marcelo Leite disse...

Parabéns Inês
consegue ter um blog que fala sobre um assunto específico sem ficar massante.
Ta linkada.

triice mayumi disse...

Olá, Inez, eu vi o post sobre resposta a uma dúvida e resolvi postar a minha, se achar conveniente, por favor, responda-a,tenho 14 anos, estou no ensino médio, para ser mais exata, no primeiro ano deste, tenho muito medo de escolher a faculdade errada e desistir no meio do caminho, ou ainda pior, dedicar 80% da minha vida a algo que eu simplesmente não gosto, meu pai tem a teoria de que eu tenho que escolher algo que dê dinheiro para fazer o que gosto nas horas de lazer, tentei ouvir opniões pessoais de muita gente do que elas pensavam que eu "combinava", bom... foram só 17 opções distintas de medicina a direito, existe alguma formula mágica para escolher uma carreira? Ou pelo menos uma formula qualquer? O dinheiro recebido na carreira é realmente tão importante assim?
Beijos... :*

Nessullius disse...

Não acho que testes vocacionais sejam essenciais, muitas vezes são uteis, isso é verdade. Mas acho que o autoconhecimento, como citado acima (no post) sim, esse é o fator X da questão, os jovens hoje em evz de estudar, pricipalmente no ensino médio, só farram, acredito que essa falta de estudo cause uma certa dúvida no que escolher para o futuro, isso é bem delicado, 1 ano que você perde já é muito!