28 de set de 2009

ENTREVISTA – TURISMO E HOTELARIA

Gleice Regina Guerra

Bacharel em Turismo (ECA-USP) e em Economia (FMU) e Mestre em Contabilidade e Controladoria (FEA-USP). Foi gerente geral de hotéis das redes Tropical, Transamérica e Meliá. Dedica-se à educação, tendo sido docente e coordenadora de cursos de graduação e de pós-graduação. Desenvolve e orienta pesquisas, tendo publicado diversos artigos em periódicos científicos, capítulos de livros e apresentado trabalhos em eventos científicos. Encarregou-se da tradução e revisão técnica de mais de uma dezena de publicações de turismo/ hotelaria. Presta consultoria para empresas, poder público e instituições como São Paulo Convention & Visitors Bureau, Instituto de Hospitalidade, Ruschmann Consultoria e diversos empreendimentos hoteleiros e hospitalares.

Pergunta: Como foi sua escolha profissional?
Resposta: Meus pais já trabalhavam com Turismo, e eu comecei a trabalhar com eles muito cedo, ainda no colégio. Fazer faculdade de turismo foi uma decorrência natural, portanto. Fiz também, no SENAC, o técnico em administração hoteleira, um curso de um ano. Mais tarde, cursei outra faculdade (Economia) e fiz o Mestrado em outra área, mas sempre com a intenção de me aprimorar para a área de turismo/ hotelaria.

Pergunta: Quais os campos de atuação?
Resposta: Atuo nas áreas de pesquisas e educação, gestão e operação de serviços, planejamento e implantação, tanto em Turismo como em Hotelaria, nas esferas da administração privada e pública.

Pergunta: Em qual destes campos de atuação há mais oportunidades de trabalho?
Resposta: Tanto o turismo como a hotelaria tem muito espaço para crescer no país, dando muita oportunidade a profissionais criativos e com iniciativa – isso nem sempre significa emprego celetista. O setor de Hotelaria gera muitos postos de trabalho, mas a proporção maior de geração de empregos é para profissionais semiqualificados.

Pergunta: Quais os conhecimentos necessários para o bom desenvolvimento profissional, que não se aprende na faculdade nem nos cursos de especialização?
Resposta: O Turismo e a Hotelaria são áreas interdisciplinares, que exigem muito mais que conhecimento específico. Determinadas habilidades e atitudes para lidar com questões que não são pertinentes à área de expertise dos profissionais são valorizadas e extremamente necessárias em qualquer trabalho da área. Quero dizer, ainda que não se conheça profundamente arqueologia ou engenharia, tanto os gestores de turismo como de hotelaria vão precisar saber extrair desses profissionais a melhor solução para determinado destino turístico ou para a manutenção predial de um hotel. A formação da faculdade é generalista, e o bom profissional deve se aprofundar nos temas que são importantes em determinada atuação, e continuar estudando sempre, conforme se apresentem às necessidades.

Pergunta: Como é seu horário de trabalho?
Resposta: Atualmente, como consultora, meu horário é variável e irregular. Faço minha própria agenda. Mas já trabalhei muitos carnavais, réveillons e assim por diante. Pensando bem, muitas vezes, na iminência de entregar um trabalho de planejamento, por exemplo, ainda passo muitos finais de semana com o computador.

Pergunta: No seu exercício profissional você tem necessidade de abrir mão de alguma coisa de sua vida pessoal?
Resposta: Que vida pessoal? Bom, falando sério, eu gosto muito de trabalhar, e às vezes uma coisa se mistura com a outra – às vezes um desafio profissional, para mim, é mais prazeroso que uma atividade social. Mas acho que quem tem necessidade de manter a vida pessoal separadinha da vida profissional consegue, sim. Conheço muita gente da área que tem vários filhos, teve vários maridos... (!)

Pergunta: Como está o mercado de trabalho?
Resposta: Depende como se enxerga o mercado. Para mim, fascinante, todo dia aprendo uma coisa nova. A Copa de 2014 trará muitas oportunidades. Mas, sabe, costumo dizer aos meus alunos: qualquer profissão – e qualquer mercado – depende muito mais do profissional e de como ele constrói sua trajetória. Tem médico que passa a vida toda fazendo plantão e ganhando mal. Uma competência importante, em qualquer profissão, é saber ver onde as oportunidades vão surgir, e se antecipar. Turismo e hotelaria estiveram “na moda” por 5 ou 7 anos, foi um boom de faculdades e alunos, até se perceber que (1) o mercado é seletivo, (2) sobram muitas funções desmotivadoras para quem não passa no funil do mercado. Mas é assim em qualquer área.

Pergunta: Quais são as perspectivas futuras para o mercado de trabalho?
Resposta: No setor de hotelaria, fora as grandes capitais, há tudo por fazer. No Turismo, especialmente no receptivo internacional, incluindo as grandes capitais, também há tudo por fazer.

Pergunta: No exercício profissional você corre riscos?
Resposta: Sem dúvida. Realizar um estudo de viabilidade financeira, mercadológica ou operacional de um projeto, por exemplo, é uma grande responsabilidade. A partir do estudo, grandes investimentos serão projetados e realizados. Como o futuro é imprevisível, por mais rigoroso que tenha sido o estudo, há riscos de que as previsões não se realizem.

Pergunta: Quais as dificuldades encontradas atualmente?
Resposta: Atuo na área desde os 14 anos de idade, e minha inserção no mercado de trabalho foi fácil – parei de trabalhar com os meus pais quando entrei na faculdade, mas já tinha experiência. O que percebo hoje dos jovens recém-formados é que parecem se sentir frustrados por entrarem na área em funções operacionais. Até hoje realizo funções operacionais, quando necessário, e não vejo problema, ao contrário: sem realizar tais funções, não se consegue vislumbrar as debilidades ou falhas em outras prestações de serviços, não se conhece a totalidade de nosso mercado.
Assim, de qualquer forma, para trabalhar com turismo/ hotelaria é necessário uma vocação para a prestação de serviços.

Pergunta: Quais as dificuldades encontradas atualmente?
Resposta: Falta de jovens recém-formados dispostos a aprender na função inicial de estagiários, devido à ansiedade de crescer profissionalmente em curto prazo. Ninguém inicia uma carreira como gerente. Nem deveria.

Pergunta: Na sua área o salário é compensador?
Resposta: Pessoalmente, não tenho queixas. Mas cada pessoa é responsável por construir, digamos, seu salário. E isso significa, muitas vezes, plantar hoje para colher amanhã. Por exemplo, quando traduzi o meu primeiro livro de turismo, fiz a tradução de graça, para uma grande editora. Mais de 300 páginas de Word. Hoje, sempre me convidam para traduzir – fiz muitas, bem remuneradas, depois disso.
De uma forma geral, a área é ampla, e trabalhar em turismo não se limita exclusivamente a hotéis, agências e transportadoras. São os esforços, a criatividade e a competência de cada um que dita sua carreira profissional. É claro que há um fator aleatório (sorte?), mas acredito, de verdade, que a participação dela na carreira é limitada.

Pergunta: Que conselho daria a quem deseja seguir a carreira?
Resposta: Onde quer que vá atuar, faça o que gosta. Seja ético e exercite constantemente a atenção. Nunca abra mão de ser crítico, inclusive consigo mesmo, e não se “acostume” com nada: nem com o errado e nem com o certo (pode haver um certo melhor). Seja flexível e saiba que às vezes não percebemos, mas estamos sempre aprendendo, se estivermos atentos. Inúmeras vezes com as decisões equivocadas que tomamos.

9 comentários:

Ingrid Normando disse...

Olá Inez,
Parabéns pelo seu blog!
Muito útil, já estou no 6° semestre da faculdade e até hoje tenho duvidas se estou no curso certo!
Vou recomenda-lo para as minhas primas e primos mais novos!!!

Beijos

Tadeu disse...

otima entrevista, parabens

Es muss sein disse...

Muito boa a entrevista, de grande interesse principalmente pra estudantes da área.
até mais

Francisco disse...

Ótimo post. Vamos ver quais serão os frutos da Copa de 2014.

Tute Braga disse...

Adorei a iniciativa do seu blog! De verdade!!!
Até hoje, me formando já, não tenho certeza se estou no curso certo! hahaha
Mas acho que não faria turismo, não faço muito o estilo adventure e nem gostaria de morar longe da minha família! Mais longe, quero dizer! haha
Beijoss

henrique menna disse...

Adorei muito seu blog, muito tri mesmo, continua assim, já to seguindo seu blog, se você ta afim de fazer pareceria entra no meu e me adiciona também, aqui ta meu blog, entra La, http://henrique199.blogspot.com/

iti disse...

uma carreira legal...
gostaria de saber mais sobre, publicidade e propaganda, sistemas de informação, design.
http://www.maquinazero.com.br/

Wander Veroni disse...

Oi, Inez!

Estou adorando essa sua seção de entrevista, pois nos mostra q visão de várias profissões. Acredito, como a Gleice Regina Guerra, que qdo atuamos numa profissão com ética e por amor, o sucesso é uma consequência de todo o nosso trabalho. Parabéns pelo post!

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Karina Kate disse...

Olha eu aqui de novo Inez!
Ótima entrevista. É muito bom ter opiniões de profissionais do setor que podem dar uma luz para aqueles que estão decidindo sobre qual carreira seguir.